E-book "Profissão: EU!"

E-book "Profissão: EU!"
Da autora do blog "Nodo Ascendente", já à venda em raquelfialho.com

domingo, 3 de março de 2013

Mudar... mas o quê?

Sem nada aparentemente plausível que o justifique, 
interrogo-me todos os dias com o seguinte: 

"Mas a vida será só isto? Há, seguramente, qualquer coisa que me está a escapar, algo que eu tenho que perceber e ainda não percebi, talvez um conhecimento ainda não disponível ou um dom ainda não descoberto..."

Sinto-me errática, pela vida, sem rumo definido, ainda que aparentemente tudo esteja bastante organizado... a verdade é que ainda não sei quem quero ser quando for grande... parece que as coisas me vão acontecendo como se eu não tivesse grande controlo sobre elas. 
Sinto que deveria, mudar, mudar, mudar... tenho a força para o fazer se soubesse o que mudar...

Kátia, Lisboa


Adaptado de Astrodienst
Gosto de abordar cada mapa astrológico como se tivesse uma história para contar. Ou melhor, muitas histórias. E a questão que colocamos ao mapa direciona a nossa mente racional e a nossa intuição para a história que reside nessa questão. 

Numa visão panorâmica, observam-se os quatro ângulos (Ascendente/Descendente e Meio-do-Céu/Fundo-do-Céu) em signos fixos, sugerindo uma postura de continuidade perante a vida.

Os planetas encarregam-se de escrever o parágrafo seguinte. Com Sol, Marte, Júpiter e Saturno em signos mutáveis, há grande capacidade de adaptação às circunstâncias. Sem dúvida que tudo está organizado pois consegue lidar habilmente com o que a vida prática lhe apresenta de bom e de menos bom (Sol e Marte em conjunção em Virgem, Júpiter em Sagitário na casa 2). Mas há qualquer coisa em falta, e o seu espírito profundamente investigativo (o Ascendente Escorpião com Marte em Virgem regendo o mapa, Saturno em quadratura ao Sol, em Gémeos na casa 8) permanece agitado. 

Mas a vida será só isto?  É Júpiter em Sagitário quem faz essa pergunta, o seu filósofo interior (e que dotado que ele é, em trígono ao criativo Mercúrio em Leão...!). E fá-la precisamente aos planetas na casa 9, a casa natural de Júpiter, a casa da busca pelo sentido da Vida. 

Na casa 9 vivem duas senhoras que falam em uníssono (estão em conjunção), ainda que digam coisas um pouco diferentes uma da outra (pois estão em signos diferentes). A Lua personifica a nossa criança interior, mostra o que precisamos para nos sentirmos cuidados e seguros. "Preciso de encontrar o meu lugar no mundo (casa 9), o meu lugar de heroína que fará com que todos me admirem por ser tão especial!" (a Lua está em Leão, assim como o Meio-do-Céu). Enquanto isso, Vénus em Caranguejo anseia por relacionamentos. "Quero viajar, aproveitar os prazeres que lá fora me esperam, quero envolver-me com quem me possa levar nesta viagem, quem me mantenha segura e acarinhada ao longo do caminho, quem comigo queira partilhar um ninho do tamanho do mundo".


E olhando mais atentamente para esta Vénus, parece que é ela o enigma e a solução em simultâneo. Regendo o Descendente Touro, Vénus parece esperar que tomem conta dela. Está ainda em conjunção ao Nodo Descendente, que representa as experiências que assimilámos em vidas passadas e às quais facilmente regredimos quando nos deparamos com qualquer circunstância desconfortável. "Fui tão bem cuidada em vidas passadas.... espero agora continuar a encontrar quem cuide de mim, quem me dê qualquer coisa de reconfortante em que acreditar..." Bem, por esta altura já o filósofo Júpiter perdeu a paciência e foi dedicar-se a procurar novas e estimulantes fontes de rendimento - que é pra isso que ele lá está na casa 2 ;-)

Mas não desisto da Vénus em Caranguejo. Porque Caranguejo não é só o querermos que cuidem de nós. É - e deve ser - a capacidade que temos de cuidar de nós próprios e também de cuidar dos outros. E é esse o percurso sugerido pelos nodos lunares, pois que se o Nodo Descendente sugere o passado distante de onde viemos, o Nodo Ascendente mostra qual o caminho em frente, a direcção que maximiza o potencial de desenvolvimento de cada pessoa. 

E lá está ele em Capricórnio, casa 3. Mensagem: torne-se auto-suficiente nas suas aprendizagens. Não espere que um príncipe encantado a leve a explorar o mundo, mas antes defina objectivos claros para desenvolver os seus conhecimentos. Mais do que isso, o Nodo Ascendente em Capricórnio pede-lhe que seja ambiciosa, que se comprometa com um objectivo e dê tudo de si para o alcançar. Que assuma o controlo das suas circunstâncias e concretize no mundo real os seus maiores talentos, sejam eles quais forem...

É possível que a sua óptima capacidade de adaptação tenha até agora jogado contra si, pois que se vai adaptando facilmente ao que a vida lhe traz e ao mesmo tempo acomodando àquilo que já conhece. Muita energia mutável e fixa neste mapa, mas só a energia cardinal permite traçar um rumo definido, saber o que se quer e partir à sua conquista. Nesse sentido, conta apenas com Vénus e com os nodos lunares, únicos elementos do mapa cuja cardinalidade pode facilmente canalizar para a sua vida. E com Plutão também num signo cardinal (Libra), e em trígono ao Nodo Ascendente em Capricórnio, os passos que der no sentido de desenvolver a sua auto-suficiência vão dar-lhe verdadeiro poder pessoal, o poder para comandar de facto o rumo da sua vida em vez de ficar perdida por muitos caminhos possíveis.

Porque não, a vida não é "só isto". A vida é tanto ou tão pouco quanto estejamos (in)conscientes que ela seja. A vida é tudo o que nos propunhamos fazer, cientes das nossas limitações e ainda assim empenhados em superar-nos a nós próprios. E nem importa a idade, ou as circunstâncias profissionais/ amorosas/ familiares/ financeiras/.... Qualquer dia é um excelente dia para mudar. Desenvolva o seu sentido de responsabildade para consigo própria, assuma a responsabilidade pela sua nutrição emocional, e muito em breve será capaz de traçar um rumo mais definido para a sua vida, se assim o desejar.

PS- Um exercício interessante para quem quer encontrar a sua vocação: Imagine que a partir de amanhã todas as suas necessidades financeiras estavam asseguradas sem que precisasse de um emprego. O que faria com esta nova disponibilidade total?... Ok, o que faria com esta nova disponibilidade total DEPOIS de tirar umas longas férias e fazer umas belíssimas viagens? É que o lazer também farta, não? ;-) 

Pense no que faria apenas pelo prazer de o fazer. E quando finalmente encontrar a resposta através da sua aguçada capacidade de auto-análise (astrologicamente comprovadíssima!), descubra quem esteja disposto a pagar por isso.