E-book "Profissão: EU!"

E-book "Profissão: EU!"
Da autora do blog "Nodo Ascendente", já à venda em raquelfialho.com

terça-feira, 21 de agosto de 2007

REIKI - parte II

No primeiro artigo relativo a este tema, concluiu-se que o Reiki se baseia na distribuição harmoniosa da Energia Vital (Ki), gerada através da Energia Celestial (Rei). Uma vez que aqui se fala essencialmente do factor Energia, importa saber quais as suas características.

Quando se fala em Energia Reiki, fala-se de uma Corrente Energética apolar, que poderá assumir a polaridade necessária para o bem-estar do paciente. É uma Energia de alta-frequência, destruindo assim os Bloqueios Energéticos que impedem a livre circulação Energética pelo corpo. Estes Bloqueios Energéticos são os principais responsáveis pelo aparecimento de doenças e outros distúrbios.

Um dos principais aspectos que importa reter prende-se com o facto de que a Energia que é transmitida durante uma sessão de Reiki não provém do terapeuta. Este serve apenas de “Canal Transmissor” da Energia Celestial, pelo que, mesmo após várias sessões, os seus níveis energéticos não diminuem. Pelo contrário, o indivíduo que aplica Reiki também é beneficiado, uma vez que, como já foi referido, a energia flui através do seu corpo até ao destinatário. Tudo isto é conseguido através de uma correcta utilização da técnica, deixando-se a Energia fluir e deslocar-se até onde é necessária.

São raros os casos de reacções adversas à terapia Reiki, uma vez que esta terapia não causa mal algum. No entanto, em alguns casos poder-se-á verificar uma fase de adaptação de curta duração, através da qual, o organismo procura o equilíbrio e uma reorganização Energética, uma vez que foram removidos Bloqueios Energéticos.
Importa ainda referir que Reiki não é nem faz parte de nenhuma religião. Qualquer pessoa, independentemente do seu credo, pode ser praticante sem qualquer restrição.
Crianças e Idosos podem ser excelentes veículos de Reiki: esta técnica depende mais do amor incondicional que o terapeuta pode oferecer do que dos conhecimentos teóricos adquiridos por ele.


Fonte: Moreira, P.G. & Mattos L.F.

Sem comentários:

Enviar um comentário