E-book "Profissão: EU!"

E-book "Profissão: EU!"
Da autora do blog "Nodo Ascendente", já à venda em raquelfialho.com

domingo, 3 de junho de 2007

Signos do Zodíaco - I. Áries

"A coragem não é a ausência de medo, mas o triunfo sobre ele. O homem corajoso não é aquele que não sente medo, mas aquele que conquista esse medo."

Nelson Mandela


Sistema Tropical: c.21 de Março – 20 de Abril
Sistema Sidereal: c.15 de Abril - 13 de Maio
Sistema Solar: c.19 de Abril - 13 de Maio
Constelação: Áries
Elemento: Fogo
Qualidade: Cardinal
Regência Primária: Marte
Regência Base: Plutão
Exaltação: Sol
Exílio: Vénus
Queda: Saturno
Partes do Corpo: Cabeça, Face
Pedra preciosa: Diamante, Quartzo
Metal: Ouro, Bronze
Cores: Vermelho, Branco, Rosa
Números: 3, 5
Dia da Semana: Terça-Feira


Simbologia

A origem do símbolo do Carneiro é desconhecida. As suas primeiras utilizações remontam ao Antigo Egipto, onde era utilizado como a cabeça de Amun, a divindade líder de todos as outras. Nesse tempo, também a cabeça do ganso era utilizada como símbolo do signo de Áries. Na Astrologia Védica, este símbolo é visto como uma fonte ou uma semente a germinar, de onde brota o Espírito, a Consciência Universal, no seu aspecto mais criativo.

Mitologia Grega

Athamas, Rei de Croneus, e a sua primeira esposa, Nephele (cujo nome significa “nuvem”) foram abençoados com dois filhos: um rapaz, chamado Phrixus, e uma menina chamada Helle. Eventualmente Athamas perdeu o amor por Nephele e divorciou-se, desposando Ino, filha de Cadmus, Rei de Tebas. Juntos, também tiveram dois filhos e, com o passar do tempo, Ino tornou-se cada vez mais invejosa dos filhos de Nephele e dos seus direitos enquanto legítimos herdeiros do trono de Croneus. Para que um dos seus filhos viesse a herdar a coroa, Ino recorreu a um plano habilidoso: sabendo que o milho era a principal fonte de sustento do reino, Ino convenceu todas as mulheres a torrar as sementes de milho antes da sementeira, sem que os seus maridos soubessem. Quando se percebeu que não haveria milho para colher, Athamas consultou o oráculo de Delfos para saber o que poderia fazer para apaziguar os deuses e recuperar as colheitas. Mas Ino interceptou os mensageiros para o oráculo e subornou-os, de modo a que a resposta que Athamas recebeu foi a de que os seus filhos com Nephele eram a causa da falta de milho que tanto afectava o seu reino. Athamas decidiu então seguir o conselho do oráculo, e oferecer os seus filhos em sacrifício aos deuses. Longe da capital, Nephele ouviu rumores do que se estava a passar e, temendo pela segurança de Phrixus e Helle, enviou alguém para que os protegesse. Não era um ser humano, mas sim um carneiro com lã de ouro. O animal tinha sido oferecido por Hermes, e era completamente fiel à sua rainha e aos seus filhos. No dia previsto para o sacrifício, o carneiro levou as crianças no seu dorso, fazendo-as voar para o outro lado do oceano. Helle, mais frágil que o irmão, não conseguiu segurar-se à lã dourada, e caiu no estreito que separa a Ásia da Europa (os gregos chamavam-lhe por isso Hellesponte, “Mar de Helle”, e hoje é conhecido por Dardaneles).

Phrixus conseguiu sobreviver, e foi levado para o extremo oriental do Mar Negro, onde o Rei Aeetes (filho de Helis e irmão de Circe) o recebeu com generosidade e lhe deu em casamento a filha, Chalciope. Em agradecimento, Phrixus sacrificou o carneiro dourado a Zeus Phyxius (Zeus enquanto deus da fuga), e ofereceu a lã dourada a Aeetes, que a pendurou num carvalho sagrado para Ares, onde permaneceu guardada por uma serpente que nunca dormia. Zeus homenageou o Carneiro dourado e a sua bravura, eternizando a sua forma no brilho das estrelas da constelação de Áries.

Significado Astrológico

Áries (ou Carneiro) é o primeiro signo do Zodíaco, o ponto de início no Equinócio Vernal. É por isso o princípio do ano zodiacal. Simbolizado por um animal de grande coragem, Áries está relacionado com o início da Vida, a aurora, a Primavera. Nesta época, a Natureza é arrebatada por demonstrações generalizadas de virilidade: o esforço empreendido por cada semente que teima em germinar, por cada rebento que irrompe dos ramos, por cada novo pássaro que sai do ovo, tudo isso requer agressividade, audácia, desprezo pelo perigo. E uma profunda confiança em si próprio. Áries personifica o pioneirismo, o espírito de aventura, a coragem, o carisma, a frontalidade, a emotividade, a capacidade de liderança. Por outro lado, esta energia tão indomável traz também o egoísmo, a falta de diplomacia, a insensatez, a impaciência, a impulsividade, a competitividade levada ao extremo. Em Áries, a racionalidade é escassa, a ingenuidade abundante, a capacidade de auto-reflexão pouco desenvolvida. A actividade é auto-motivada, direccionada para novos começos, embora esse entusiasmo enorme seja normalmente momentâneo: a “faísca” inicial está lá, mas falta a persistência para levá-la a bom termo.

O seu lema? Nunca derrotado. Como se define? EU SOU!


Fontes:

Introdução à Astrologia, de Lisa Morpurgo (Ed. Pergaminho)
Manual de Interpretação Astrológica, de Stephen Arroyo (Pub. Europa-América)

Penumbra
Wikipedia

1 comentário:

  1. Hello, I am sorry to speak English and not yyour language (Spanish?). I am looking for the name of the painting with the children flying on the ram on this page, i was wonderfing if you could help me? with thanks, Annabel

    bellgirlsblog [at] gmail [dot] com

    ResponderEliminar