E-book "Profissão: EU!"

E-book "Profissão: EU!"
Da autora do blog "Nodo Ascendente", já à venda em raquelfialho.com

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Ano: 2012



O Calendário Longo, inventado e utilizado pela civilização Maia há 2300 anos, chega ao seu fim (ou melhor, recomeço) no dia 21 de Dezembro – solstício de Inverno – do ano 2012 da Era Cristã. Este fim, calculado pelos Maias, foi marcado com extraordinária exactidão – como saberiam eles o momento do solistício de Inverno de um ano tão distante no futuro? E porquê 2012?



Neste dia (já não tão distante quanto isso!) terá lugar um acontecimento astronómico raro: o Sol posiciona-se na intersecção entre a Via Láctea e o plano da eclíptica. A Via Láctea, como saberá qualquer observador do céu nocturno, estende-se no sentido Norte-Sul. O plano da eclíptica é o percurso que o Sol, a Lua, os planetas e estrelas parecem seguir todas as noites, de Este para Oeste. Este plano intersecta a Via Láctea a um ângulo de 60 graus, próximo da constelação de Sagitário. A “Cruz Cósmica” formada por esta intersecção era, para os Maias, a chamada “Árvore Sagrada”. O seu tronco, Axis Mundi, é a Via Láctea, e o principal ramo o plano da eclíptica. Em termos mitológicos, ao nascer do Sol de 21 de Dezembro de 2012, o Sol – nosso Pai – ascende nos Céus para se reunir ao centro da Árvore Sagrada, Árvore do Mundo, Árvore da Vida. Este raro acontecimento astronómico – o último terá ocorrido há 25800 anos! – foi previsto pela história da Criação e calculado empiricamente pelos Maias. Mais: entre 1980 e 2016, no solstício de Inverno, o Sol nasce no Equador galáctico, fenómeno que, de acordo com James Spotiswoode (especialista em percepção extra-sensorial e psicoquinese), potencia o desenvolvimento das capacidades psíquicas do seres humanos. Daí que esse processo de alinhamento galáctico possa indicar a existência de um período temporal no qual assistiremos aos primeiros exemplos de uma “humanidade alterada”. Eis algumas das hipóteses que mais têm sido discutidas:


- Aumento das capacidades telepáticas (ver crianças indigo, p.ex.);


- Alteração geomagnética ou impulso electromagnético que levaria à inutilização de todos os equipamentos electrónicos e, também, à amnésia colectiva, com consequente final de todas as guerras;


- Desencadear de experiências extra-corpóreas em massa (OBE, a tratar em próximos posts);


- Ascensão do Kundalini, a serpente de fogo que, na tradição Hindu, se encontra adormecida na base da coluna vertebral, e que quando atinge o cérebro aniquila o ego e proporciona o Esclarecimento (mais um tema para outros posts). Esta interpretação foi reforçada pela recente publicação de um codex Azteca, A Pirâmide de Fogo, no qual um deus serpente com penas, Quetzalcoatl-Kukulcan, é revelado como sinónimo de Kundalini, e está directamente relacionado com 2012.

Outras pistas poderão ser seguidas no trabalho de Terence McKenna (1946-2000) e na sua Teoria da Novidade. Escritor, filósofo e etnobotanista, McKenna desenvolveu a ideia de que o Universo é uma “máquina” concebida para a produção e conservação de "Novidade". Neste contexto, “Novidade” pode querer dizer coisas novas, inéditas, ou Extropia - nível de inteligência, ordem funcional, vitalidade, capacidade e motivação para evoluir de um sistema vivo ou organizacional. Quando se representa graficamente a produção de Novidade/Extropia ao longo do Tempo, obtém-se uma onda fractal denominada Onda Temporal Zero ou simplesmente Onda Temporal. Esse gráfico mostra o Quando dos aumentos e diminuições de Novidade, mas nunca o Onde.



Gráfico simplificado representativo da Onda Temporal

A Evolução como uma espiral descendente: a ocorrência de uma Novidade requer um intervalo de tempo cada vez menor


Considerado por muitos como um modelo representativo dos acontecimentos históricos mais marcantes para a Humanidade, este algoritmo universal derivado do I-Ching pode ser extrapolado para prever eventos futuros, e inclui pontos de “Singularidade”. O gráfico da Extropia teve muitas flutuações ao longo dos últimos 25000 anos mas, espantosamente, verificará uma assimptota no dia 21 de Dezembro de 2012. O que significa que, a partir deste dia, deixa de existir Extropia, atinge-se um estado que, no presente, é impossível de definir. O conceito de singularidade tecnológica é semelhante a este, e ocorrerá cerca de 30 anos mais tarde.

No final de tudo isto, o que esperar de 2012? Para os Maias, é o fim de uma era de triunfo do materialismo e de transformação da matéria, um tempo durante o qual nos afastámos do nosso sentido de união com a Natureza, numa espécie de amnésia colectiva que levou ao desenvolvimento do egoísmo e da necessidade de domínio. O que se segue?

Parece-me que a Novidade última será uma situação em que todos as fronteiras se dissolvem. […] O sistema nervoso humano está a globalizar-se, construindo um modelo de pensamento consciente a uma escala planetária

Terence McKenna


"Como os Maias que nos precederam, devemos compreender que o caminho para as estrelas se constrói através do sentidos, e que a utilização adequada da mente como factor de controlo auto-regulatório irá facilitar a passagem para diferentes níveis ou dimensões de Ser."

"Somos os Pacificadores que esperávamos. Tudo o que esteve Inconsciente está a tornar-se Consciente."

José Argüelles, autor de The Mayan Factor: Path Beyond Technology

Fontes:

The Mayan Prophecy of 2012 - http://www.13moon.com/prophecy%20page.htm

2012: Dire Gnosis - http://www.diagnosis2012.co.uk/

Library of Alexandria: 2012 AD - http://www.halexandria.org/dward415.htm (Excelente revisão do que já existe na net sobre este assunto)

Wikipedia: Novelty Theory - http://en.wikipedia.org/wiki/Novelty_theory

Sem comentários:

Enviar um comentário