E-book "Profissão: EU!"

E-book "Profissão: EU!"
Da autora do blog "Nodo Ascendente", já à venda em raquelfialho.com

sexta-feira, 20 de abril de 2007

Os Sete Princípios Herméticos

I. Princípio do Mentalismo

“Tudo é Mente. O Universo é Mental.”

Este Princípio mostra que toda a Realidade Substancial inerente a todas as manifestações e aparências exteriores que conhecemos como o universo material, o fenómeno da Vida, a matéria e a energia – em suma, tudo o que é sensorialmente perceptível -, tudo isso é Espírito, em si próprio impossível de conhecer ou de definir, mas que pode ser imaginado como uma mente viva, infinita, universal. O Princípio do Mentalismo explica também que todos os fenómenos observáveis são simplesmente criações mentais do Tudo, sujeitas às Leis das Coisas Criadas, e que o Universo existe na mente do Tudo, e é aí que vivemos a nossa existência.

Deste Princípio deriva a explicação de toda uma variedade de fenómenos mentais e psíquicos aparentemente incompreensíveis que desafiam qualquer tratamento científico. A sua compreensão permite ao indivíduo entender o funcionamento das grandes Leis Mentais, e a sua aplicação inteligente com vista ao bem-estar e aperfeiçoamento: Energia, Poder, Matéria são subordinados do Domínio da Mente.


II. Princípio da Correspondência

“Em cima como em baixo, em baixo como em cima."



Este Princípio incorpora a verdade de que existe sempre correspondência entre as leis e fenómenos dos vários planos de Existência. A sua compreensão permite solucionar muitos paradoxos e segredos da Natureza, e entender o funcionamento de outros planos que estão habitualmente fora do âmbito do nosso conhecimento. Os antigos Hermetistas consideravam este Princípio como um dos mais importantes instrumentos disponíveis ao Homem para “espreitar” o Desconhecido. Assim como os princípios da Geometria permitem medir os movimentos de corpos celestes distantes, a partir de um simples observatório na Terra, também o Princípio da Correspondência proporciona a capacidade de deduzir com inteligência o Desconhecido a partir do Conhecido.


III. Princípio da Vibração

“Nada está em repouso; tudo se move; tudo vibra.”



Este Princípio incorpora a verdade de que tudo está em movimento permanente, em vibração. Este é um facto sustentado pela Física Moderna, comprovado a cada nova descoberta científica, e no entanto já havia sido enunciado há milhares de anos, pelos Mestres do Antigo Egipto. Este Princípio explica ainda as diferenças entre Matéria, Energia, Mente e Espírito, resultado em larga medida de diferentes graus de vibração. Desde o Tudo, que é Puro Espírito, até à forma mais grosseira de Matéria, tudo vibra: quanto mais elevada a frequência de vibração, mais elevada a posição na escala. O Espírito vibra com tal intensidade que parece estar em repouso; o mesmo sucede com alguma Matéria, cujo movimento é tão lento que parece de facto ter cessado. Entre estes dois pólos, existem milhares de milhões de diferentes graus de vibração, desde o electrão, o átomo e a molécula, até mundos e universos. Isto também é válido nos diferentes planos de Energia e Força, e nos Planos Mentais e até Espirituais.

O domínio deste Princípio permite ao estudante de Hermetismo controlar as suas próprias vibrações mentais e as dos outros que o rodeiam. Os Mestres podem aplicar este Princípio para controlar fenómenos naturais de várias formas. Aquele que compreende o Princípio da Vibração, tem nas mãos o ceptro do poder”.


IV. Princípio da Polaridade

“Tudo é Dúplice. Tudo tem dois pólos. Tudo tem o seu par de opostos. Semelhante e diferente são o mesmo. Opostos têm a mesma natureza, mas em graus diferentes. Os extremos tocam-se. Todas as verdades são apenas meias-verdades. Todos os paradoxos podem ser reconciliados.”

Este Princípio incorpora a verdade de que “Tudo é dúplice”, explicando que tese e antítese são o mesmo, que tudo tem dois lados, etc. Isto explica que tudo tem dois pólos, ou aspectos opostos, e que esses “opostos” são na realidade dois extremos de uma mesma coisa, com muitos graus de variação pelo meio. Um bom exemplo disso é a temperatura. Frio e Quente são opostos, mas não é possível olhar para o termómetro e definir onde começa um e acaba o outro! Os termos “frio” e “quente” indicam apenas graus diferentes de uma mesma coisa, que pode ter muitos graus de vibração diferentes entre estes dois extremos. O mesmo se aplica à “Luz” e à “Escuridão”, que são dois pólos de um mesmo fenómeno. E qual a diferença entre “Grande” e “Pequeno”? “Alto” e “Baixo”? “Positivo” e “Negativo”?

O Princípio da Polaridade explica estes paradoxos, e nenhum outro se lhe sobrepõe. O mesmo se aplica ao Plano Mental. Consideremos o exemplo extremo de “Amor” e “Ódio”, dois estados mentais aparentemente diferentes. E no entanto existem vários graus de Ódio, e também de Amor, e um ponto intermédio no qual usamos termos como “Gostar” ou “Não Gostar”, ou ainda “Nem um nem outro”. São apenas diferente graus de um mesmo sentimento. O que interessa aos Hermetistas é a possibilidade de fazer variar as vibrações do Ódio no sentido das vibrações do Amor, na sua mente e na mente dos outros. Muitas pessoas já sentiram esse tipo de mudança vibracional, de Ódio a Amor e vice-versa. Pois essa mudança pode também ocorrer através do uso da Vontade. Bem e Mal são também pólos de uma mesma coisa, e o Hermetista compreende e pratica a arte de transmutar Mal em Bem, por aplicação do Princípio da Polaridade.


V. Princípio do Ritmo

“Tudo flui, para fora e para dentro. Tudo tem as suas marés. Todas as coisas ascendem e caem. O movimento pendular manifesta-se em tudo: a medida do movimento para a esquerda é a medida do movimento para a direita. O ritmo compensa.”


Este princípio incorpora a verdade de que em tudo o que existe há um movimento de e para, vai e vem, tipo pêndulo. Esse movimento ocorre entre os extremos descritos pelo Princípio da Polaridade. Há sempre uma acção e uma reacção, avanço e retrocesso, ascensão e queda. Isto acontece no Universo, nas estrelas, e mundos, nos seres humanos e nos animais, na Mente, na Energia e na Matéria. Esta lei manifesta-se na criação e destruição das nações, na vida de todas as coisas, e finalmente nos estados mentais do Homem. Os Hermetistas compreenderam este Princípio, verificaram a universalidade da sua aplicação, e encontraram certas formas de ultrapassar os seus efeitos em si próprios, através do uso de fórmulas e métodos apropriados. Para tal é utilizada a Lei Mental da Neutralização. O Princípio em si não pode ser anulado, mas é possível escapar aos seus efeitos sabendo USÁ-LO, em vez de SER USADO. O Mestre consegue, por força da sua própria Vontade, polarizar-se ao ponto de desejar estar parado, neutralizando o movimento pendular que o levaria para o outro extremo. O domínio da Lei Mental da Neutralização permite atingir um grau de firmeza mental quase impossível de conceber pela generalidade das pessoas, que se vê constantemente “levada pela maré”.


VI. Princípio da Causa e Efeito

“Toda a Causa tem o seu Efeito; todo o Efeito tem a sua Causa; tudo acontece de acordo com a Lei. O “acaso” é apenas um nome para a falta de reconhecimento da Lei; existem muitos planos de causalidade, mas nada escapa à Lei.”


Este Princípio incorpora o facto de que nada acontece por “acaso”, não há Sorte nem Coincidência. Embora existam vários planos de Causa e Efeito, sendo que os planos superiores dominam os inferiores, nada escapa totalmente à Lei. Os Hermetistas compreendem a arte e os métodos para se elevaram mentalmente acima do plano vulgar de Causa e Efeito, até certo ponto. Ao fazê-lo, tornam-se Causadores em vez de Efeitos. A restante massa humana deixa-se levar, obediente ao meio envolvente, deixando que os desejos e vontades dos outros se sobreponham aos seus. A hereditariedade, a sugestão e outras causas externas convertem as pessoas em peões no jogo de xadrez da Vida. Mas os Mestres, elevando-se ao plano superior, dominam as suas emoções, qualidades e poderes, bem como o ambiente que os rodeia, e transformam-se de peões em jogadores. Os Mestres obedecem às Causas dos planos superiores, mas ajudam a comandar as Causas e Efeitos do seu próprio plano.


VII. Princípio do Género

“O Género está em tudo. Tudo tem um Princípio Masculino e um Princípio Feminino. O Género manifesta-se em todos os planos”.


Este Princípio incorpora a verdade de que existem Princípios Masculino e Feminino em tudo o que existe, tanto no Plano Físico como nos Planos Mental e até Espiritual. No Plano Físico, este Princípio manifesta-se através do sexo. Nos planos superiores, assume formas mais elevadas mas igualmente válidas. Nenhuma criação física, mental ou espiritual é possível sem este Princípio, que funciona na direcção da geração e regeneração. Todas as pessoas contêm em si os Elementos Feminino e Masculino, e nessa verdade estão contidas as soluções para muitos dos mistérios da Vida.


Fonte: The Kybalion (1908)

1 comentário:

  1. Otimo, estudos com a quantica eleva o a visao sobre o mundo, dando uma refinada visao sobre as partes e os todos. Base é preciso. Pensar.

    ResponderEliminar