E-book "Profissão: EU!"

E-book "Profissão: EU!"
Da autora do blog "Nodo Ascendente", já à venda em raquelfialho.com

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Runas...

“Sussurro secreto” é a tradução mais fiel atribuída às Runas. São um alfabeto (o FUTHARK) que guardam os mistérios do Universo, tradicionalmente resgatadas pelo deus nórdico Odin, pai de todos os deuses do panteão nórdico.

Provavelmente de origem escandinava e germânica, as runas constituem um dos oráculos mais antigos do mundo, datado de, aproximadamente, 1300 antes de Cristo. Dado à sua antiguidade, o conhecimento das runas era passado oralmente pelos “mestres” aos seus seguidores, pelo que na ausência de documentos o seu conhecimento se foi perdendo. Na Idade Média o conhecimento das runas foi reduzido quase à extinção, tal como muitas outras práticas esotéricas.

Alguns autores atribuem o significado/interpretação das 24 runas ao modo da expressão da energia básica dos 7 principais corpos celestes e dos Nodos Norte e Sul da Lua, com as afinidades e repulsões que essas energias criam. Esta ideia foi igualmente partilhada pelos egípcios. Estes tipos de energia básica universal são de número limitado, poderosas, inteligentes e muito úteis ao Homem. Daí terem sido mais tarde também interpretadas, transcritas e classificadas em algumas religiões como “Arcanjos”.

Odin é vulgarmente associado ao deus da guerra. O seu nome é associado a termos como “tempestuoso” ou “violento” devido ao esforço dos cristãos em depreciar a figura deste deus pagão ao longo da história. No entanto, a raiz do seu nome está ligado às palavras vada e od, no nórdico arcaico, e, no antigo alto alemão, a Watan e Wuot, que significavam no início “razão”, “memória” ou “sabedoria”. Odin é o deus da sabedoria e do conhecimento, é o criador da humanidade, senhor da ciência e das fórmulas mágicas e das runas, deus da agricultura, invocado por ocasião das batalhas, durante os naufrágios e as doenças, na defesa contra o inimigo, e afinal em qualquer situação desesperadora.

Na mão, Odin leva a sua lança Gungnir, forjada pelos anões, que tem uma característica peculiar: nunca erra o alvo. Com Odin, estão sempre dois corvos, Huginn (Pensamento, Entendimento) e Muninn (Memória) e dois lobos, Geri e Freki, símbolo da gulodice. O seu cavalo é Sleipnir, que tem oito pernas, capaz de andar pelo ar e pela água e de passar deste mundo para o outro. O seu trono em Valaskjalf chama-se Hlidskjalf; quando sentado nele, Odin pode ver tudo o que acontece nos nove mundos. Odin é conhecido por vários nomes, entre eles, Todo-pai, O Terrível, Pai da Batalha. Do nome de Odin/Wotan/Woden vem o nome do dia da semana em inglês Wednesday (Quarta-feira) - Dia de Woden, isto é, Dia de Odin.

Conta a lenda nórdica que Odin vai buscar a Sabedoria a uma fonte (Mimir) que está na base da raiz de Yggdrasil, a Árvore ou o Freixo do Mundo. Para beber dessa fonte o preço é perder um olho. Yggdrasil é uma árvore de raízes desconhecidas que funciona como um veículo de comunicação entre o planeta habitado pelos Homens e o “Éden”.

Preso ou por auto-sacrifício, Odin ficou dependurado na Árvore da Vida (Yggdrasil) para obter a Sabedoria. Nela se flagelou com a própria lança (Gungnir), durante nove dias e nove noites permaneceu sangrando com fome e com sede. Ao término desse período, avistou no chão as Runas e adquiriu o conhecimento secreto.

Muitos autores acreditam que os Oráculos não adivinham o futuro... Apenas nos orientam para que prestemos atenção ao que se passa dentro de nós, materializando respostas que estão no nosso subconsciente. O lema das Runas deveria ser: “Conhece-te a ti mesmo”. Pois elas permitem um auto-conhecimento, estabelecem um elo entre o Eu e o Divino. Num breve período de interacção com as Runas, estabelecemos uma zona livre onde a nossa vida se torna maleável, vulnerável e aberta às mudanças. As Runas são símbolos que contêm a sabedoria do deus nórdico Odin, são benéficas e tolerantes; nunca prejudicarão o querente, o quesito ou o “intérprete”. Aprenda a sua linguagem e deixe que elas lhe falem. Elas o ajudarão a conhecer-se melhor, mostrando caminhos e alertando para os perigos, levando-o à escolha de uma melhor posição perante as situações.
EL LIBRO DE LAS RUNAS de RALPH BLUM

3 comentários:

  1. Isso serve mesmo para adivinhar o futuro? umas pedras? e funcionam como as cartas? Gostei do teu site. vou divulgar.

    ResponderEliminar
  2. Olá Medusa,

    sou eu de novo!!!
    Tive um tempinho e decidi ir aos teus arquivos, aos poucos espero pôr a leitura em dia. (estou a amar, a deliciar-me)

    Hoje parei por aqui e decidi partilhar a minha opinião sobre o assunto.
    Eu sou apaixonada por tarot, desde cedo que me interesso por esse tema. Não numa perspectiva de adivinhar o futuro, mas de conhecer os mistérios do macrocosmo, olhando para o meu interior, o microcosmo. Creio que as artes que os deuses nos deixaram, Odin as runas e Toth o tarot, servem para nos orientar nesta subida da Árvore da Vida. (mais um tema apaixonante)
    O meu tarot é o de Crowley, que me levou para a cabala e para a astrologia. O meu conhecimento de astrologia e muito básico, tenho algumas bases, mais intuitivas do que outra coisa, por isso acho boa ideia trocarmos mapas mas não sei se te poderei ajudar com o teu, já tu...creio que me irás ajudar bastante. Astrologia é mais a praia da IdoMind, ela sim, é apaixonada e tem bastante conhecimento. Eu estarei sempre disponível para ajudar a ver o que por vezes temos dificuldades em ver, através das cartas. :)
    Desviei-me um pouco do assunto, mas conversar, neste caso desabafar, contigo é sempre bom! Também adoro mitologia, um dia se te apetecer passa no meu grimoire e verás com temos muitos temas em comum!

    Um beijo grande e bom fim-de-semana

    Shin Tau

    ResponderEliminar